Advertisement
02/06/2019 Por Diego Tedim 0

São Paulo 1 x 1 Cruzeiro (Opinião)

Fica até difícil opinar sobre mais um tropeço da equipe. O São Paulo mais uma vez sai sem uma vitória dentro de casa. O time até criou, mas se não fosse por Volpi, sairíamos derrotados hoje.

Com 39% de posse de bola, o tricolor manteve o mesmo número de finalizações que o Cruzeiro. Enquanto os mandantes finalizaram 13 vezes, com 4 chutes a gol, o adversário finalizou 14 vezes, com os mesmos 4 chutes a gol. Conclui-se, então, que se de fato entramos em campo hoje com uma proposta de jogar sem a bola, as oportunidades que se teve deveriam ser melhor aproveitadas. E a expulsão de Igor Vinícius não deve ser usada como desculpa porque aconteceu nos 5 minutos finais. 

Mas o que mais me impressionou da partida de hoje, além da atuação e personalidade de Volpi, visivelmente preocupado com o estado do time, foi a percepção de uma suposta ausência de liderança no vestiário. Denílson, no 3º Tempo da Bandeirantes, tratou de falar sobre isso quando levantou que aparentava não ter um jogador que cobrasse mesmo o elenco. Muito se ouve nas entrevistas que “as vaias são merecidas”, ou que “o time tem jogado mal”, mas não se vê uma entrevista direta ao ponto de cobrar desempenho dos atletas. A última vez que se viu algo parecido foi no dia 9 de março, em entrevista de Hernanes, mas sua fase abaixo pode – aqui faz-se uma suposição – tê-lo deixado mais recuado. E muito preocupa ver o maior incomodado com a atual situação do clube ser um jogador que chegou neste ano (Volpi), ou seja, com muito menos identidade com o São Paulo que os demais. Hernanes, Hudson e Luan, por exemplo, com certeza muito se incomodam também, mas por serem pessoas mais reservadas – suponho -, aparentam não externar tanto quanto nosso goleiro. 

Foto : Djalma Vasão/Gazeta Press

Por fim, muito preocupou a entrevista de Pato. Passando pela zona de entrevistas, ele não disse diretamente que estava jogando em uma posição que não fosse a de sua preferência, mas deixou isso claro quando disse que jogava onde “o treinador mandar”. Acho que isso reflete bem o atual estado do clube e não creio ser necessário gastar muito tempo aqui de como isso pode afetar negativamente não só a equipe, mas principalmente o próprio Cuca. Vale registrar que dias atrás o comandante falava sobre haver saídas na parada da Copa América, outra entrevista que julgo desnecessária. 

Faltam agora os jogos como visitante diante do Avaí e do Atlético-MG. Torço para a Copa América chegar logo pois muito devemos melhorar se queremos vaga para Libertadores e até um suposto título. O São Paulo precisa reinventar-se, a curto prazo, como padrão de jogo e atitude, e reformular-se, enquanto clube, a longo prazo. 

*Opinião de um torcedor nada especialista discorrendo sobre o jogo de hoje.